Eu não sou diferente... Os outros é que são muito iguais.

20070606

Fazer ondas

Rui Marques espelha a minha opinião quanto à coexistência mais do que pacífica entre livros e multimédia. Até porque, para além de outras competências, o suporte multimédia permite também a prática da leitura e neste caso penso que mais vale pouco que nada. Se os miúdos vão lendo blogs é melhor do que simplesmente não lerem. É claro que seria melhor se lessem blogs e livros e jornais. Perfeito, perfeito seria lerem blogs e livros e jornais de qualidade. Mas neste campo não sou nem radical nem extremista. Não faço ondas.

Mas quanto à minha mais recente sobrinha que fez no dia 4 um mês de vida, vou fazer ondas sim senhor! Vou aproveitar as lãs que já tinha há algum tempo e que não sabia bem qual era o destino delas e vou fazer uma coberta para o berço/caminha. Ainda não descobri bem qual o truque para fazer as ondas certinhas... Neste momento estou a fazer 1 p.a. 2 p.a. juntos 1 p.a. 2 p.a. juntos 1 p.a. 5 p.a. no mesmo buraco 1 p.a. e repito o processo. Isto resulta para as curvas superiores, mas não para as inferiores que ficam pouco acentuadas. Tenho que descobrir como dar a volta. Aqui ficam as ondas que ando a fazer.

5 comentários:

velvetsatine disse...

E que tal umas ondas no Manual de Artes Decorativas?! :P

***

Perdido disse...

Concordo, mais vale ler blogs do que não ler nada... dexde k naum exkrevaum d 1 mneira demaxiado exkizita, claru.

Vee disse...

Velv,
vou postar no MAD sim senhora! :P

Perdido,
sinceramente não sou das que proíbem esse tipo de escrita terminantemente. É verdade que não o promovo e que não aceito que mo escrevam, nem sequer nos cadernos diários! Na net até vou aceitando algumas abreviaturas, principalmente quando falo com alunos no MSN, mas chamo-lhes sempre a atenção quanto ao registo: na linguagem escrita, tal como na linguagem oral, há registos diferentes de língua. Não nos dirigimos nos mesmos termos ao Presidente da Junta, aos nossos pais ou ao nosso melhor amigo. Para dizermos o mesmo, usamos registos diferentes consoante a situação. O mesmo se passa na escrita. Há uma ocasião para tudo. Obrigada pelo teu comentário ;) e sinto muito quanto ao teu professor.

Perdido disse...

É essa falta de noção de "publicos-alvo" distintos que encontro e sinceramente me assusta. Vejo muita gente com a credibilidade afectada porque não sabem aplicar o tom mais correcto na ocasião certa. Mas se calhar sou eu que estou a ficar velho....

E obrigado.

Vee disse...

Acho que a nossa geração está mesmo a ficar velha... pelo menos nesse sentido! ;)